12Dezembro2017

Você está aqui: Início Metas do Milênio 7-Garantir a sustentabilidade ambiental

7-Garantir a sustentabilidade ambiental

Garantir a sustentabilidade ambientalUm bilhão de pessoas ainda não tem acesso à água potável. No entanto, no decorrer dos anos 90, quase o mesmo número de pessoas passou a ter tanto acesso à água potável como ao saneamento básico.

A água e o saneamento são dois fatores ambientais chaves para a qualidade da vida humana. Ambos fazem parte de um amplo leque de recursos naturais que compõem o nosso meio ambiente e que devem ser protegidos.

Apesar de o Brasil ter aproximadamente 12% de toda a água doce do planeta, 22 milhões de pessoas não têm acesso a água de boa qualidade . A água é um recurso natural renovável: rios, lagos e lençóis subterrâneos são capazes de repor seus suprimentos, desde que a humanidade não os esvazie rápido demais ou os contamine.

 

Garantindo a sustentabilidade ambiental:

 

  • Apoiar a iniciativas para a implantação de práticas ambientais sustentáveis e responsáveis, pela conscientização e informação nas escolas, comunidades, empresas, além de suporte a projetos de pesquisa. Campanhas e eventos de informação e conscientização sobre preservação e utilização segura dos recursos naturais.
  • Incentivar programas de mobilização coletiva para estímulo à reciclagem e reutilização de materiais. O objetivo é implementar processos de reciclagem de fácil acesso para a população.
  • Participar de ações de voluntariado na comunidade para educar e sensibilizar a população, bem como interferência direta nas associações e órgãos representativos, escolas, parques, reservas, etc. Busca-se utilizar a estrutura e a representatividade das instituições já existentes nas comunidades para ensinar sobre preservação do meio ambiente.
  • Promover “econegócios” (negócios sustentáveis), que preservem o meio ambiente, gerem ocupação, renda e melhoria da qualidade de vida das populações. Utilizar o meio ambiente onde está a comunidade de modo responsável e produtivo.
  • Fazer campanhas de uso racional de água e energia.
  • Plantar árvores nas ruas é muito importante, porém é preciso pedir licença à prefeitura e aos moradores.
  • Implementar a coleta seletiva nas escolas, no condomínio ou no bairro e divulgar o benefício de produtos biodegradáveis ou recicláveis.
  • Realizar mutirões de limpeza e rearborização de praças, rios e lagos.
  • Contribuir com a limpeza da cidade, praticando ações simples como não acumular lixo em casa, ruas, terrenos, praias, rios e mares.
  • Não jogar lixo pela janela.
  • Não fumar em ambientes públicos fechados.
  • Utilizar a água que sobrou da chaleira, do cozimento de ovos e da lavagem de vegetais para aguar plantas. Armazenar água da chuva, em recipientes fechados, para lavar carros e calçadas, economizando água – recurso natural limitado – nas ações cotidianas.
  • Diminuir o uso de energia elétrica entre 6 e 9 horas da noite. Desligar aparelhos que não estão sendo usados, economizando e evitando a falta de energia elétrica.
  • Economizar papel. Imprimir apenas documentos importantes e procurar usar os dois lados da folha. O verso de uma folha pode ser usado como rascunho, bloco de recados ou para os desenhos das crianças.
  • Participar de ações de preservação e defesa de mangues, rios e mares.
  • Participar de projetos sociais para construção de cisternas e casas com esgotamento sanitário para famílias de baixa renda, em áreas urbanas ou rurais.
  • Incentivar o uso de sacolas reutilizáveis para compras.
  • Incentivar o uso de produtos feitos com material reciclado.